Ofereço dois cursos práticos aqui no ateliê:
aquarela e pintura a óleo. 

A ideia é que cada um, a partir da pintura pela observação direta, desenvolva sua poética.
Nossa prática – a observação direta – se resume em pintar o que se olha e olhar o que se está pintando. Uma prática de aprendizado infinito. 

Não tem data de início. Pode começar quando quiser.
Os horários das aulas estão descritos abaixo.

Aquarela

Terças das 19h às 21h30

R$ 270 por mês

Óleo

Terças das 9h às 11h30

R$270 por mês

Para que o interessado conheça mais a proposição do curso, o espaço e os materiais, combinamos uma conversa individual. Pode me escrever (noronha.dani@gmail.com)  ou zap 9-9492-0613.

Importante observar que:

Materiais são de responsabilidade do aluno. Conversando aqui vamos definindo as prioridades de compra para quem está começando. 

No ateliê mora um gato e isso pode ser inconveniente para pessoas alérgicas.

Outro possível empecilho é que, para se chegar ao meu estúdio, deve-se subir dois lances de escada. 

Ateliê Cayowaá

Rua Cayowaá 1005

05018-001 Perdizes, São Paulo SP

Materiais

papéis

O ideal é que cada um tenha à mão papeis indicados para aquarela. Há muitas possibilidades de papeis, como sugeridos abaixo.

Aquele tipo de papel que comumente chamamos de “canson” não é bom para aquarela pois se desfaz quando se trabalha com sobreposição de camadas.  No entanto, a Canson fabrica um bloco de papel que se chama “Aquarela (acho que o melhor preço é da Kalunga), ou também o Aquarelle XL (um pouco mais caro mas vem com mais folhas) são menos recomendáveis para quem está começando. 

Os papéis preferidos da professora são o Roma da Fabriano, o Arches da Canson, o Fabriano Artístico e o Canson Molin du Roy.

Papeis Hahnemühle Bamboo ou Britania, Watercolour Cotman, Fabriano para aquarela ou o Canson Monval respondem bem;

Curiosamente, o papel de prova para gravura da Hahnemühle (a Pintar em geral tem) responde bem à várias demãos e ao pigmento da aquarela e são recomendados por sua relação custo benefício. Dê preferencia às cores mais claras do papel (ele é comercializado em muitas tonalidades e é mais facilmente encontrado na Pintar! e na Casa do Artista, mas ligue antes para confirmar se tem). Papeis de prova para gravura de outras marcas não apresentam resultado semelhante (afinal, são para gravura).

tintas

Lápis aquareláveis não serão usados ao longo do curso.
Não precisa de branco porque não o usaremos em aula.

Há dois tipos de aquarelas comerciais prontas — as em bloco e as em bisnaga. Cada pessoa pode escolher o jeito que prefere trabalhar pois as tintas em bisnaga são mais fáceis de ser diluídas mas precisam de um godê e as em bloco devem vir num estojo ou algo que as organize.

Tintas Rowney, Lukas, Cotmann, Van Gogh são indicadas para o curso.

Rembrandt, Winsor&Newton são linhas profissionais boas.

Old Holland e Schmincke, Maimeiri, Blocx e Qor são linhas profissionais muito boas e as preferidas da professora.

Cores indicadas para se começar:

ocre,

siena queimada,

sombra queimada (e/ ou van dyck),

azul ultramar (e/ ou cobalto)

alizarim ou quinacridone.

pincéis

O pincel é uma ferramenta pessoal e é recomendável que se experimente uma variedade deles para que se encontre o que gosta. Pincéis para aquarela devem ter as cerdas bem macias. Para os exercícios de aula o ideal é que nossos pinceis sejam redondos e mais grossos,  à partir de 6mm de “bitola”.

Pincéis chineses ou japoneses (conhecidos como fudês) são muito ricos para linhas e manchas e são muito recomendáveis. Há vários com preços ascessíveis no mercado. A rede de lojas Daiso comercializa um tipo de pincel sintético bom (o de pelo natural solta as cerdas facilmente, não é tão bom);

A tigre faz um pincel de orelha de boi que é aceitável.

Os melhores são muito macios e transferem a tinta de forma gradual para o papel. Marta, esquilo, kolinsky, sable são pelos animais muito bons.

Há linhas sintéticas que simulam os pelos naturais, como o Keramik 705 n. 08 que é uma ótima opção custo/ benefício.